quinta-feira, agosto 24, 2006

Já no Algarve...

Rafael tinha chegado ao Algarve já fazia dois dias e ainda não tinha contactado nenhum dos seus amigos.
Calma e despreocupadamente, Rafael passeava-se pela rua principal do Alvor. De repente Rafael começa a reconhecer a silhueta de uma pessoa. Observa com mais atenção, na tentativa de reconhecer a dona daquela silhueta. Segundos depois percebe que se trata de Raquel. Assim sendo, aproximou-se...
- Olá! – disse ele com entusiasmo.
Raquel virou-se para ver que lhe tinha abordado
- Rafael? Por aqui? Já estava a estranhar não vires cá este ano! Como estás, rapaz?
- Contrariado, mas bem. E tu, boneca, como estás?
- Cá estou, como bem vês. Mas então, estás contrariado porquê?
- Porque queria estar com o meu namorado e os meus pais obrigaram-me a vir para aqui... Mas o pior é que o Nelson, o meu namorado, esté receoso que eu volte a envolver-me com o Bruno...
- Com o Bruno? Contaste-lhe? – perguntou ela espantada
- Sim, contei...
- Na íntegra ou parcialmente?
- Tudo mesmo... Bem, apetece-me um café. Acompanhas-me?
- Claro, com certeza, gajo! Aproveitas e contas-me a história do Bruno ao pormenor, porque nunca cheguei a perceber esta história toda... Pode ser?
- Pode sim. – Rafael olha em redor à procura de um café – Vamos àquele?
- ‘Bora!
Rafael e Raquel dirigiram-se ao café mais próximo. Pediram um café e foram-se sentar na esplanada.
- Então... conta-me lá o que se passou em concreto com o Bruno e agora com o... como se chama ele?
- Nelson. Bem, então foi assim... Apresentaram-me o Bruno há três anos atrás. Nos primeiros tempos, falávamos ocasionalmente e depois fomos falando todos os dias... Caí na asneira de me apaixonar por ele, mesmo sabendo que ele tinha namorado. Entretanto, após uns meses a guardar aquilo para mim, acabei por lhe contar. Dois ou três meses mais tarde, fui a Lisboa ter com ele. Fui passar uns dias a casa dele e do namorado. Nada de mais, até porque ia mesmo numa de amizadee não mais que isso. Acontece que o jovem foi-me seduzindo, provocando... Ao fim do terceiro dia não resisti e deitei-me com ele. Não era para ter acontecido, mas aconteceu. Ele mudava de postura assim que estávamos acompanhados, quer fosse pelo namorado ou pela Inês. Simplesmente era como se não fosse o Bruno que eu conhecia.
- E depois...? – Inquiriu Raquel.
- Depois... olha! Aconteceu mais duas vezes.
- O namorado soube?
- Soube. Abri o jogo com ele, já depois de terem terminado a relação. Mas ele já sabia e não me recriminou por isso... Menos mal. Ainda hoje falo muito com ele. É bom rapaz.
- E com o Bruno como foram as coisas?
- Com este.... bem... Não foram assim tão bem sucedidas. Quer dizer... desde à pouco tempo. Mas adiante. Por azar, naquele ano, ele tinha que se mudar justamente para aqui. Eu, parvo, sempre que podia escapava para aqui para estar com ele. Tudo em nome do amor. E sabia que, para ele, eu não passava de um divertimento. É isso que me magoa mais, sabes? É eu saber isso e mesmo assim continuar a vir ter com ele. Enfim... o amor!
- Mas, oh gajo, já deste o caso como encerrado, não deste?
- Já. Tinha de ser. Fartei-me de ser uma marioneta nas mãos dele. No final do Verão passado prometi a mim mesmo que não voltaria acontecer... Depois, em Outubro, conheci o Nelson, o meu actual namorado.
- Estou a ver... a história do Bruno é tramada. Mas vá! Fala-me lá do Nelson!
- A única coisa que te posso dizer é que me saiu a sorte grande, sabes? Parece que fomos mesmo feitos um para o outro.
- Ai... – Suspira Raquel – Só a mim é que não me aparece rapazes assim...
- Tem calma, vais ter o teu momento, não te preocupes.
- Espero que não demore muito a chegar. – continuou – Já agora... quem é a Inês de quem falaste?
- A Inês? É uma amiga do Bruno e do namorado. Aliás, ex-namorado. Uma rapariga muito meiguinha, sabes? Curioso... é que olhas para ela e pensas "esta rapariga deve ser muito meiga", e depois vês que é mesmo meiga.
- Hmmmmm – Retorquiu Raquel – estou a ver... O Nelson vem cá ter cont...
Os dois amigos são interrompidos pelo telemóvel dela. Após uns "Hum-Hum", "O.K." e "Está bem", Raquel anuncia que a conversa tem de ficar para outro dia, porque tinha de se ir embora. Rafael e Raquel despedem-se e cada um vai à sua vida.

Hugz & Kisses,
Nobody's Bitcho

2 comentários:

Miguel disse...

Mais uma invasão para continuar a ler uma história que estou adorar :)
Ja flaste com as esditoras para lançar o livro? ;)
hug's ]^_^[

Gonçalo disse...

Esta história tá excelente!!!

Força nisso! E parabéns aos 2!

Abraços[]