quinta-feira, agosto 17, 2006

Bitch

Amanhece mais uma vez e os raios irrompem pelas frestas dos estores do novo quarto de Tiago, dando ao espaço um tom dourado-caramelo, acolhedor. Tiago dorme calmamente sobre o colchão, colocado ao centro do quarto, no meio das caixas e dos móveis. Tudo está calmo até...
Tiago acorda sobressaltado ao som da música Bitch, da cantora Meredith Brooks, que toca aos altos berros vindo da sala. Leva uns segundos para se localizar.
- Que...? - diz numa voz roucamente sonolenta. - Ah, pois! A Rita... - diz a seguir e aterra a cabeça na almofada.
Levanta-se cambaleando e veste uns jeans e uma t-shirt branca e sai do quarto aos esses, mas estagna-se na porta perante o espectáculo que se lhe apresenta. Na sala, Rita dança e canta enquanto limpa o pó da televisão.
- I'm a bitch, I'm a lover. I'm a child, I'm a mother. I'm a sinner, I'm a saint. - canta ela esganiçadamente enquanto abana a cabeça como um pombo a correr.
Tiago fica sem reacção, tentando controlar o riso. Fica ali a olhar para ela, de estatura média, mas de porte atlético. Cabelos compridos e castanhos, atados num rabo de cavalo. É quando ela baixa a cabeça e rodopia o rabo de cavalo que Tiago não aguenta mais e solta umas gargalhadas sonantes. Ela pára de cantar e vira a cabeça na direcção dele e fica assim, debruçada para a frente com o braço direito esticado, segurando o pano do pó amarelo. Endireita-se de repente.
- Foda-se! - diz ela de repente e corre até ao comando para desligar a aparelhagem. - Epá, merda! Desculpa. Pensei que estava sozinha em casa. - Ri-se. - Merda! Que vergonha! - e pousa o pano do pó no móvel da televisão.
Rita aproxima-se dele rapidamente, com os seus típicos passos rápidos e dá-lhe um abraço. Tiago fica sem reacção por ter sido apanhado de surpresa. Ela afasta-se um pouco.
- Tu deves ser o Tiago. Eu sou a Rita, a namorada do Carlos. Ele falou-me de ti ontem. Que te tinha recebido em casa, mas eu pensava que já tinhas saído.
Ela cala-se por uns segundos e sorri.
- Ele não me disse que és giro.
Pisca-lhe o olho. Tiago cora.
- Olha. - diz ela enquanto solta o cabelo. - Estou a pensar ir à pastelaria ali do fundo da rua tomar o pequeno-almoço. Queres vir? Sempre nos conhecemos melhor.
Pisca-lhe o olho.
- Que achas?
E, antes que ele consiga responder, diz.
- Vamos.


***
A pastelaria aparenta ser relativamente pequena do lado de fora, embora se apresente bastante acolhedora. Mas é quando eles entram que Tiago repara que a pastelaria tem uma cave aberta ao público.
Rita, com toda a sua energia característica, cumprimenta os empregados todos com dois beijos e depois dirige-se a um senhor de certa idade. Parece ser o dono do espaço. Fala com ele durante uns segundos e depois chama por Tiago e apresenta-o.
- Sr. Alberto, este meu amigo é o Tiago. O meu novo colega de apartamento.
Eles apertam as mãos.
- Mas veja lá, homem. - diz ela, dirigindo-se ao dono - É para o tratar bem. Viu?
E pisca o olho ao Sr. Alberto. Este ri-se numa gargalhada explosiva.
- Ó menina Rita, você não tem emenda. - sorri. - Se você não existisse, teriam que a inventar. Mas, vá. Sentem-se, sentem-se. Vou chamar alguém para os servir.
Sentam-se num canto e são logo atendidos.
- Então. Diz-me... O Carlos disse-me que vieste com a tua irmã ontem, quando ele vos recebeu... Maria, na'é?
- Marta.
- Isso. O que é que ela faz?
- É secretária numa agência de viagens.
- Hu-hum! E dás-te bem com ela? Tipo, imagino que a vossa diferença de idade deve ser ainda um bocado considerável. Que idade tem ela?
- Vinte e seis. Dou-me bem, sim. Quer dizer... - coça a cabeça. - Às vezes ela age como se fosse a minha mãe. Mas, fora isso, damo-nos bem.
- Foda-se! (Ri-se.) Que amoroso! Quer dizer, eu nunca tive irmãos e adorava ter, mas pronto... Vai-se fazer o quê. A minha mãe já fechou a fábrica e o meu pai meteu os tomates na pré-reforma. - e soltam os dois uma gargalhada. - E tu, que idade tens?
- Tenho dezanove.
- Ah... Mas tu és um bebé. - e pisca-lhe o olho. - Curto-te bué, chavalo! És boa pessoa. Um bocado tímido, mas isso passa.
Chegam as sandes e os sumos. Tiago prepara-se para dar a primeira trincadela quando repara na porta a abrir-se e fica parado. E entra ele...
(continua...)
Abraços
Arms

3 comentários:

Nobody's Bitcho disse...

Bahhh!!!

Ele tinha k fazer o cliffhanger... se nao, n descansava :D lol


Curti da miúda... mto maluka :D xD

Arms disse...

Muahahahaha >:)

Ah pois é... Temos que usar as armas que tivermos à disposição...

XD

Se bem que o teu cliffhanger 'tá muito melhor conseguido que o meu... =P

Eu, por acaso, mas só por acaso, também curto a miúda. XD

Coool disse...

Epah muito fixe! Parabéns pelo blog! Descobri este espaço hoje assim meio por acaso mas já vi que estão cheios de pica! Assim é que é! Essas histórias prometem! Ahhh pronto gostei especialmente da segunda... mas se passarem pelo meu blog percebem porquê!
Aqueles abraços