sábado, outubro 14, 2006

No Hospital [Parte 2]

- Que...?! – Perguntaram, em uníssono, Nelson, Ana e Ricardo.
Ao mesmo tempo que colocaram a questão, Ana - que se encontrava do lado esquerdo de Nelson – agarrou-lhe na mão, enquanto que Ricardo – situado à sua direita – colocou a mão no ombro do amigo.
- Que... – suspirou o médico. – Que poderã ser fatais. A equipa médica que o assistiu fez o melhor que pôde para evitar qualquer complicação ou infecção. Mas o futuro é incerto... Após o período das quarenta e oito horas mais críticas, eventualmente irão poder respirar de alívio. Nós faremos o nosso melhor.
Dito isto, Nelson agarrou-se aos amigos e chorou compulsivamente.

* * *

Durante a semana seguinte, Rafael dá sinais de recuperação, apesar de permanecer em estado de coma.
Ao fim do nono dia de internamento, Rafael finalmente acorda. Nelson e os pais de Rafael nem se aperceberam do facto.
- Nelson...? – Disse Rafael num tom esgotado ao mesmo tempo que se tentava libertar da máscara de oxigénio.
Nelson e os pais de Rafael olham-se com cara de espanto e de um certo alívio pelo sucedido. Nelson aproximou-se de imediato, enquanto a dona Antónia, a mãe de Rafael, tentava alcançar o filho, sendo impedida pelo marido.
- Espera. Tem calma. Deixa-os falar primeiro. – murmurou o senhor Osvaldo.
- Mas é o meu filho! – respondeu, resignada, a dona Antónia.
- Nelson... – repetiu Rafael.
- Sim, meu anjo. Sou eu.
- Perdoa-me...
- Não penses mais nisso. – Disse Nelson soltando uma lágrima. – Agora descansa. Põe-te bom depressa... Sim? – interrompeu com um suspiro. – Os teus pais estão aqui; a Ana e o Ricardo estão lá fora a torcer por ti. Estamos todos a contar contigo, amor.
- Amo-te...
- E eu a ti... desculpa ter sido parvo...
- Sim... – respondeu Rafael com algumas dificuldades respiratórias.
Nelson voltou a colocar a máscara de oxigénio na cara do namorado.
- Vá... não fales. Descansa. – Disse, despedindo-se com um beijo na testa. – Vou lá fora dar a novidades a eles, sim? Amo-te.
- Sei que sabem que não é melhor momento para pedir explicações... só peço para não o fazerem falar muito, qualquer que seja o assunto. Vou deixá-los a sós. Devem querer dizer-lhe alguma coisa. Se ele voltar a chamar por mim, estou lá fora.
- Claro. Com certeza. – acedeu de imediato o senhor Osvaldo. – Obrigado.
Ficaram a olhar-se durante alguns segundos, enquanto Nelson procurava pelas melhores palavras.
- De nada. – Acabou por responder.
E saíu.
[continua...]


Hugz & Kisses,
Nobody's Bitcho

1 comentários:

Gonçalo disse...

O amor é lindooo :'(

Aiiii, eu não devia dizer isto!!! grrr

PS: o que virá a seguir? :P