sexta-feira, outubro 13, 2006

Encontros Imprevistos (parte 7)

Tiago decide pelo passeio. A noite está agradável e, para além disso, a vontade de ir para casa é nula. Decidem então passear pela marginal. A caminho da marginal eles passam por uma rua mais escura e deserta e reparam num casal de lésbicas de mãos dadas à sua frente. Sorriem os dois. Pedro estende então a sua mão.
- Queres seguir o exemplo delas?
Tiago hesita. Mas, passado uns segundos, dá a mão a Pedro e descem a rua de mãos dadas. Tiago solta um suspiro tremido, libertando todo o nervosismo que a proposta lhe incutiu.
- Não estavas à espera de poder me dar a mão na rua? – pergunta Pedro ao reparar.
- Nunca.
E nada mais dizem um ao outro. Descem a rua apenas, apreciando o silêncio e o luar. E, quando chegam ao fundo da rua e começam a voltar às ruas iluminadas, soltam as mãos. Com impulso, uma reacção quase natural. Como se estivessem a fazer algo de mal. Tiago entristece-se de repente.
- O que foi Tiago? – pergunta Pedro.
- Detesto este mundo! Detesto ter que esconder-me como se eu fosse um criminoso apenas porque amo de forma diferente. Detesto ter que andar por aí a mentir e inventar realidades apenas para não ser marginalizado. É injusto. Eu tenho tanto direito a ser feliz como outra pessoa qualquer.
Pedro baixa a cabeça.
- Sim. Percebo-te! Mas vamos esquecer o mundo hoje. Vamos esquecer que existem pessoas, cidades, continentes... Hoje sejamos apenas eu, tu, a Lua e o mar. Nada mais importa. O Sol depois irá devolver-nos à realidade que tanto adoramos!
Tiago ri.
- Que sarcasmo! Sim... Hoje não quero pensar em mais nada!
Desviam o seu passeio da marginal quando chegam ao parque. Embora não seja lá muito aconselhável entrar no parque à noite, há zonas iluminadas que são relativamente seguras. Entram na alameda do parque e sentam-se num banco a meio caminho.
- Daqui vêem-se bem as estrelas. – diz Tiago.
Pedro olha para cima.
- Verdade. Nunca tinha reparado! Até se vê a Via Láctea! – sorri.
- Que foi? – pergunta Tiago.
- Devem ter já passado uns... sei lá... oito ou nove anos que não me sento a ver estrelas. Já me tinha esquecido de como elas são simplesmente belas. Tão simples. Pequenos pontinhos no céu como berlindes num tapete azul-escuro. Como se Deus fosse uma criança e os tivesse esquecido. - Tiago ri despertando a atenção de Pedro. – Estás a gozar!?
- Não... Nada disso! Eu é que nunca tinha ouvido uma descrição dessas na vida. Achei piada.
Um silêncio. Pedro e Tiago olham um para o outro. Tiago sorri com um sorriso infantil e, ao mesmo tempo, extremamente sexy. Pedro mete-lhe a mão na bochecha e eles beijam-se. Tiago não sabe o que fazer de início. Apenas fecha os olhos e entrega-se.


^^
Arms

2 comentários:

BTD disse...

Muito bem sô Arms, ta no bom caminho...Seu maluco =D

disse...

deduzo que a história não se fique por aqui... ou estou errada? =)